Pensamento...

A vida é uma janela que se abre no sem fim do Tempo.

segunda-feira, 30 de Agosto de 2010

Barqueiros do Volga

Faço acompanhar a letra do poema por uma velha melodia Russa que por remotas razões me emociona quando a escuto e, ousadamente, pela minha própria voz e viola.

Dedico este arranjo poético-musical a todos os luso-poetas, sem nenhuma excepção.



BARQUEIROS DO VOLGA

Nas margens do Volga nasce a luz do luar
Na noite serena da minha saudade
Voga voga ei que o marulhar
Lembra as ondas do longe mar

Nas barcas do Volga eu fui trovador
Na longa jornada deste meu sonhar
Voga voga ei oh remador
Que o dia está para despontar

Do rouxinol o eterno canto
Escuto em enlevo entre os salgueiros
Num matinal terno quebranto
Diviso a lua além dos outeiros


Da estepe infinda chega o pulsar
Nas asas do vento a voz dos Urais
Canta canta oh lenhador
Que o teu canto vem dos Valdai.

Antonius

Sem comentários:

Enviar um comentário